Paranapiacaba – Trilha do Mirante

Paranapiacaba é uma vilazinha super charmosa bem no Alto da Serra do Mar, por isso fazer trilha como a do Mirante é sempre uma boa opção. Ela fica no município de Santo André e foi fundada após a construção de uma estrada de ferro.

Pela estrada ter sido construída por uma empresa inglesa, muitos funcionários foram residir na vila, que começou a ganhar a cara deles com casas feitas nos moldes em que eles conheciam. Essa era a parte baixa e tornou-se uma vila inglesa.

Já na parte alta de Paranapiacaba eram os comerciantes que construíam por ali para atender as necessidades dos ferroviários. Porém a arquitetura era bem distinta da inglesa.

Por esses motivos a cidade é um museu a céu aberto e a gente acaba se perdendo no tempo a cada passo dado.

COMO CHEGAR EM PARANAPIACABA DE TRANSPORTE PÚBLICO

Vá de metrô até a Estação do Brás (linha 03 - vermelha).
Pegue o trem sentido Rio Grande da Serra (linha 10 - turquesa).
Desça em Rio Grande da Serra (última estação).
Saia da estação de Rio Grande da Serra e vire do lado direito. 
Pegue um ônibus até Paranapiacaba.
Desça no ponto final.

Outra opção é pegar o Expresso Turístico a partir da Estação da Luz (linha 01 – azul). Porém, esse trajeto só é realizado aos domingos. O embarque é feito as 08h30 e a volta as 16h30. É importante comprar esse bilhete com antecedência. Para maiores informações, consulte o site da CPTM.

ONDE SE HOSPEDAR EM PARANAPIACABA: eu tenho um post exclusivo sobre o Camping Simplão de Tudo, onde eu conto como é a vibe de se hospedar ali na floresta. Recomendo conhecerem, é um espaço mágico e muito acolhedor. Possui área de camping e também alguns quartos.

TRILHA DO MIRANTE – PARANAPIACABA

Em minha primeira vez na vila, ao chegar na cidade fui direto na AMA – Associação de Monitores Ambientais e Culturais de Paranapiacaba. Lá eles nos mostraram as diversas opções de trilhas para fazer e deram as opções viáveis para o tempo e disposição que tínhamos.

Chegamos à conclusão que a melhor escolha seria a Trilha do Mirante e deixamos nosso guia reservado. A contratação do guia em Paranapiacaba é necessária, sem ele não deixam acessar o terreno da trilha. Pagamos R$ 20,00 cada uma para ele.

A trilha começa a partir de uma guarita onde um guardinha verifica a credencial do guia e anota quantas pessoas estão em seu grupo. Depois adentramos no meio da mata.

Achei bem tranquila a caminhada que fizemos, aliás, fizemos essa escolha justamente pelo grau leve de dificuldade. Pelo caminho passamos pela Pedra do Índio e algumas quedas d’água pequenas.

Enquanto caminhávamos na Trilha do Mirante, fazia sol em Paranapiacaba. Foi chegar no topo e finalmente enxergar a vista das fotos que vimos que o tempo mudou completamente.

A neblina tomou conta de tudo e o que era para ser uma vista da cidade de Cubatão, tornou-se uma visão pro abismo, sem sabermos o que havia por trás daquela neblina cabulosa.

SILENT HILL BRASILEIRA

Quando descemos da trilha as 16h00 nem acreditávamos em como o clima havia mudado completamente. Já não enxergávamos nada além dos nossos pés. Não é a toa que a vila de Paranapiacaba tem a fama de ser a Silent Hill brasileira, viu? Mega clima de filme de terror.Trilha do Mirante Paranapiacaba

LENDAS DE PARANAPIACABA

Em um local com o clima tão cabuloso como é Paranapiacaba, claro que haveriam algumas lendas rondando o espaço. Como por exemplo a do Véu da Noiva:

Contam que na vila havia um romance proibido entre o filho rico de um engenheiro e uma pobre operária, que mesmo contra tudo e todos, resolveram se casar. Porém o pai do rapaz o trancou no dia do casamento no porão de sua casa, e a moça, abandonada no altar, fugiu e atirou-se em um precipício. Seu corpo nunca foi encontrado e dizem que toda tarde ela retorna à vila procurando seu amado.

CLIMA EM PARANAPIACABA

Quando decidimos ir na primeira vez para Paranapiacaba, fomos de carro e pensamos em dormir por lá. Porém imprevistos acontecem e tivemos que voltar no mesmo dia.

Como eu disse lá em cima, o clima muda de uma hora pra outra e fica surreal. O dia lindo ensolarado que fazia se tornou algo parecido com filme de terror, com muita neblina e frio. O que acaba sendo ótimo em tempos de eventos na cidade como a Convenção das Bruxas que acontece todo mês de maio e proporciona um clima muito acertado para essa comemoração.

Porém, muita atenção na estrada, pois ela tem uma parte de terra e sem nenhuma sinalização. O que a faz mega perigosa pois não conseguimos enxergar absolutamente nada em nossa frente, estava tudo um breu, foi horrível.

Resultado: viemos para São Paulo praticamente a 10km/h com farol alto e lanternas de celulares ligadas para ajudarmos a Pri que estava dirigindo para enxergar o caminho e as curvas que precisava fazer. A estrada parecia sem fim para nós que não conhecíamos o terreno.

Por isso, atenção redobrada ao voltar dirigindo a noite de Paranapiacaba.

LEIA MAIS:
Bate e Volta de Sampa – Paranapiacaba, a Vila Inglesa de Santo André, pelo blog Me Leva de Leve


Caso queira procurar hospedagem em Paranapiacaba, indico buscar pelo Booking.com. Toda reserva que você faz por um link aqui do blog eu ganho uma comissão, enquanto você não paga nada a mais por isso. E ainda ajuda a manter o Além da Curva no ar, com muitas novidades sempre.


 

 

Você pode gostar

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *