O que fazer em um dia em São Paulo SP

No feriado, encontrei a Anna que teria apenas um dia para fazer e conhecer o máximo de coisas que pudesse aqui em São Paulo. Montei um roteiro para ela que pode servir de guia para vocês que também tem pouco tempo para aproveitar por aqui. Lembrando que fizemos praticamento tudo a pé, o que foi cansativo mas deu para economizar na parte do transporte.

Parece que não, mas muitas atrações em São Paulo são bem próximas e dá para conhecer num roteiro a pé, se você tiver disposição para isso.

Confesso que foi ótimo andar pela cidade e retomar aquele amor pelo caos que eu havia perdido. O centrão de São Paulo, em especial, me fez relembrar os sábados e domingos de ensaios no Teatro Escola Macunaima. Me deu um prazer imenso olhar o agito das pessoas num cenário muito típico da cidade com os prédios antigos com paredes lascadas, outros com arquiteturas lindas, construções tombadas, os vendedores ambulantes, os cheiros fortes, pessoas que andam depressa, outras perdidas pedindo informação, as buzinas que não cessam, aquele burburinho todo de centros urbanos.

Mas bora pro que interessa!

ROTEIRO DE UM DIA EM SÃO PAULO

Nosso dia começou cedinho, nas escadas do metrô Sumaré da linha verde, caminhamos cerca de 15 minutos até o Beco do Batman.

Como eu disse no post do beco, ali é um local que sempre vale a pena estar visitando de tempos em tempos, pois os grafites estão sempre mudando.

Chegamos cedo e conseguimos pegar o lugar vazio ainda, já quando estávamos indo embora começou a encher.

  • Escadaria do Patápio

Já que estávamos no Beco do Batman, fomos até o Armazém da Cidade que fica a 03 minutos de lá a pé. Ao lado do armazém, que sempre tem eventos diversificados rolando por lá como de gastronomia ou de moda, fica o Escadão, ou Escadaria do Patápio.

Ela é toda de azulejos que os próprios moradores colocaram numa oficina que rolou e ótima para tirar fotografias.

  • Avenida Paulista

De lá voltamos para o metrô Sumaré e descemos na estação Trianon-MASP da linha verde também.

Por ser feriado, assim como aos domingos, a Av. Paulista estava fechada para carros e lotada de pedestres e ciclistas. Adoro passear por ela nesses dias. Famílias, amigos, pessoas expondo suas artes, esportistas, todos ali naquela avenida que não para. Eu amo tanto quando o povo ocupa as ruas de sua cidade, obrigada aos envolvidos.

Aproveitamos e fomos almoçar em um shopping (lá tem vários) porque existiam opções mais democráticas para nosso gosto e bolso.

  • MASP e Mirante da 9 de Julho

Não entramos no MASP, mas passamos ali no vão dele. A galera costuma se reunir ali pra conversar e beber, mas eu queria mostrar à Anna o Mirante da 9 de Julho, então descemos pela rua lateral do MASP e chegamos lá.

No mirante o povo toma conta das escadas e do café. Sempre rola alguma exposição e oficinas por ali também, acho a vibe muito gostosa. Aliás, numa rápida pesquisa entre meus amigos do Facebook, a maioria elegeu o Mirante da 9 de Julho como o local que mais gostam na cidade.

Sentamos por lá um pouco e conversamos bastante, ali a hora parece não passar.Um dia em São Paulo

  • SESC Paulista

Quando decidimos voltar para a Paulista, passamos na frentes do SESC que tinha recém-inaugurado e a fila para entrar está quilométrica. Deixamos para um outro momento.

Porém, fica a dica, o mirante do SESC é gratuito e tem uma vista linda da Paulista.

  • Casa das Rosas

Na mesma calçada do SESC fica a Casa das Rosas, um espaço incrível com oficinas e cursos, em sua maioria voltados à poesia e literatura.

Vale a pena entrar e conhecer. Um dia em São Paulo

  • Japan House

Um centro cultural japonês que fica na frente da Casa das Rosas.

É gratuito e possui sempre exposições diferentes mas enfatizando a cultura japonesa. É muito maneiro mesmo, não deixem de entrar e conhecer.

  • Liberdade

Falando no Japão, pegamos o metrô Brigadeiro da linha verde, fizemos baldeação na estação da Sé para a linha azul e descemos na Liberdade para passear pelo bairro.

Se você quer respirar a cultura asiática, principalmente a japonesa, ali é o lugar. O bairro é super tradicional na cidade e mesmo eu que nem sou tão fã de comida japonesa, adoro passear por lá.

São muitas galerias e mini shoppings com um zilhão de lojas dentro, desde as mais bagunçadas até as mega charmosas. É ali que minha irmã compra seus acessórios e faz suas roupas de cosplay.

Como eu disse, não curto a culinária, então acabei não comendo nada por lá, só tomando um suco, mas a Anna comeu e aprovou. São várias possibilidades de lugares legais para gastar todo seu salário em rodízios.

Se visitar o bairro de final de semana poderá encontrar uma das atrações mais legais que é a Feira da Liberdade. Ela possui várias barraquinhas que vendem de tudo, muita comida de rua com foco na culinária japonesa, cristais, bijouterias, acessórios de couro, bonecas de pano, incensários, enfim, muito artesanato também.

  • Catedral da Sé

Aqui começa a verdadeira andança. Pois da Liberdade para o centrão de São Paulo não é nada longe, ainda mais com tantas atrações que você pode adicionar no trajeto e parar para conhecer.

A Catedral da Sé é a primeira e mega perto da Liberdade. Em 7 minutos de caminhada você chega lá.

Ela é linda demais, infelizmente a praça que a envolve não é muito bonita e segura, embora haja policiamento por lá.

Nós entramos na igreja para a Anna conhecer por dentro, mas logo saímos para continuar nosso tour. Caso você tenha mais tempo, tente agendar a visita à cripta da Catedral da Sé e vá conhecer o Pateo do Collegio (onde a cidade de São Paulo foi fundada) que fica ali pertinho.

  • Theatro Municipal

Fomos andando para o Theatro Municipal que fica uns 15 minutos a pé da Catedral da Sé.

Você pode fazer uma visita guiada gratuita, só precisa chegar com antecedência para garantir seu lugar. Ficamos sentadas um pouco na frente dele também, conversando e vendo uma turma fazer vivências corporais, assistindo jovens passando com seus estilos mais diversificados, moradores de rua pedindo dinheiro ou conversando entre si, manifestantes correndo com suas bandeiras e foi aí que meu coração pulsou diferente.

Essa é a minha São Paulo que eu havia esquecido! A cidade do povo, da arte, do contraste, do ritmo acelerado, do tempo perdido, da rua, da petulância, da simplicidade. Nada reflete mais uma cidade do que o seu centrão, e as ruas de São Paulo não param.

É muito difícil observar tudo que acontece ao mesmo tempo por aqui, as ações são muito rápidas, em uma piscada já perdemos detalhes.

São pessoas que você gostaria de ser amiga fazendo algo mega interessante, ao mesmo tempo que pessoas opostas à você fazem algo curioso e talvez bizarro no seu entendimento. Sempre encontramos algo diferente e estranho ao nosso costume, aqui definitivamente ninguém é igual. E é tanta estranheza que acaba sendo tão normal e uma delícia estar fazendo parte daquilo.

  • Galeria do Rock

Pertinho do Theatro fica a Galeria do Rock, que estava fechada quando passamos por ela, mas dá para incluir nesse roteiro. Suba e veja a personalidade da galeria.

Cuidado ao tirar fotos, eles não permitem que tirem com câmeras profissionais, apenas de celulares.

Do lado dela fica a Galeria do Reggae, se tiver aberta também vale sentir uma outra vibe.

  • Alguma coisa acontece no meu coração

Aqui já estávamos no bairro da República e é seguindo dois minutos até a Avenida Ipiranga que você já encontrará o cruzamento mais famoso da cidade de São Paulo.

Vale sim tirar uma foto nas placas Av Ipiranga e Av São João, que foram homenageadas na música Sampa de Caetano Veloso. Duas avenidas que pulsam a grandiosidade de São Paulo e se alguma coisa ainda não aconteceu no seu coração como aconteceu no de Caetano, pare e olhe ao redor. Observe os carros, as pessoas, os edifícios, acredito que o trecho da música poderá começar a fazer sentido.

Nosso tour praticamente acabou por aqui porque a Anna precisava pegar o trem para ir até a cidade do interior que estava hospedada, mas se você quiser continuar mais um pouquinho, pode.Um dia em São Paulo

  • Edificio Itália ou Edifício Copan

Dois ótimos locais para se ver São Paulo de cima. Os dois edifícios estão praticamente do lado um do outro, a 10 minutos do cruzamento anterior.

A diferença é que a visita no Copan é gratuita, porém só acontece de segunda a sexta, exceto feriados. Se tiver a oportunidade, não deixe de conhecê-lo e fazer uma visita guiada. O prédio contém uma vista incrível do mirante e também uma historia emblemática.

Ele é reconhecido por sua curva em S e ter sido uma obra de Oscar Niemeyer.

Já o Terraço Itália é uma ambiente mais gourmetizado e caro. Possui uma vista linda também, afinal, os dois estão lado a lado. Eu já fui no bar e adorei, porém meu bolso não curtiu tanto assim. Para ir no bar não paga para entrar. Se for visitar apenas o mirante, paga R$ 30,00 para subir com direito a um espumante.Um dia em São Paulo

  • Praça Roosevelt

Em 4 minutos de caminhada de um dos dois edifícios acima, você chega na Praça Roosevelt, um ambiente que eu adoro, principalmente a noite.

Por lá tem alguns teatros conhecidos como o Parlapatões e Os Satyros, alguns barzinhos e muita gente descolada bebendo e conversando.

Durante o dia, principalmente, muitos skatistas ficam fazendo suas manobras pela praça.

Aliás, se você atravessar a praça chegará no Baixo Augusta, meu canto predileto da Rua Augusta, que é a parte mais diversificada e democrática. Se estiver disposto e tiver a noite para passar em São Paulo, ali é um bom local para encontrar um barzinho ou até mesmo uma balada para se acabar de dançar.

Ah, se aguentar subir a Rua Augusta, em 25 minutos você chega de volta à Av. Paulista. Tudo se conecta! rs

Acho que esse foi um passeio de muitos contrastes mas que mostra bem o que São Paulo é e tem a oferecer, qual sua essência. Eu mesma não consigo definir a cidade. Ao mesmo tempo que ela nos revela tanto, nos deixa com muita vontade de entender outras coisas que não conseguimos encaixar em nossa cabeça.

Siga a Anna no Instagram, ele possui fotos lindíssimas das viagens que faz @annademochila

Está com crianças em São Paulo e não sabe muito bem onde ir? A Adriana do blog Atravessar Fronteiras tem um roteiro de 03 dias para crianças em SP.

PLANEJE SUA VIAGEM!

Toda reserva que você faz por um link aqui do blog eu ganho uma pequena comissão, enquanto você não paga nada a mais por isso. E ainda ajuda a manter o Além da Curva no ar, com muitas novidades sempre.

Então, que tal reservar?

Hospedagem com ótimos preços pelo Booking.

Aluguel de quarto ou apartamento pelo Airbnb.

Seguro viagem pela Seguros Promo.

Chip internacional com a Viaje Conectado.

Você pode gostar

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *