O que fazer em Cabaceiras, no cariri paraibano

o que fazer em cabaceiras

“Já fui barco, fui navio, mas hoje sou escaler. Já fui menino, fui homem, só me falta ser mulher. Valha-me. Nossa Senhora, Mãe de Deus de Nazaré”, “Ô promessa desgraçada, ô promessa sem jeito”, “Num sei, só sei que foi assim”. Já está visualizando o cômico filme brasileiro “O Auto da Compadecida” de Ariano Suassuna, depois de ler essas frases icônicas dele? Consegue enxergar o cenário? Pois bem, ao visitar a cidade de Cabaceiras, no cariri da Paraíba, você estará dentro deste filme, pois ele e muitos outros, inclusive seriados, foram gravados nessa pacata cidadezinha de 05 mil habitantes e aqui vou contar o que tem para fazer por lá.

Cabaceiras é uma das cidades que menos chove no Brasil, tendo uma incidência de 280 a 300 mm de chuva.

Eu já sabia que a cidade era locação desse filme, que, aliás, é o meu preferido do gênero brasileiro e não estava me contendo de ansiedade para chegar logo.o que fazer em cabaceiras

O Cariri é uma região do Sul da Paraíba que conta com 29 cidades, possuindo um clima semi-árido, com pouquíssima chuva.

Uma das coisas que eu mais gostei do passeio até lá foi ver a mudança da vegetação pela estrada, pois eu estava saindo de João Pessoa, no litoral cheio de coqueiros e um cenário mais verdinho, para uma região mais seca, avermelhada, com cactos e muita plantação de milho pela estrada.

Em termos de microrregião, tudo que é interior é considerado sertão, mas se você perguntar a um sertanejo se ele mora no cariri ele vai negar, assim como se perguntar ao cariri se ele mora no sertão, também negará.

A divisão, no entanto, em ordem é assim: litoral, brejo, agreste, cariri e, por último, o sertão.

A vegetação predominante aqui é a caatinga, palavra indígena que significa mata branca.

Setembro, Outubro e Novembro são considerados os meses mais quentes do ano, com temperatura muito alta e sem chuva nessa época, ou seja, meses de seca. Assim, 97% da vegetação perde a folhagem e apenas 03% se mantém viva, como o cacto e o juazeiro que possuem revestimentos de espinhos e são adaptadas para esse período.

Já o inverno é de junho a agosto, chegando a 13 graus, o que pra eles é bem frio.

IMPORTANTE: levem garrafa com água e tomem sempre, mesmo se não estiverem com sede. Até mesmo o pessoal que mora na Paraíba, mas no litoral, tem que tomar o dobro de água quando vai para essa região. Eu, então, paulistana, deveria tomar mais ainda.

Acabei não tomando muita água e nos dias seguintes passei bem mal, tendo, inclusive, que antecipar minha volta para casa. O calor e a seca não são brincadeira, entendam o local onde estão, respeitem o seu corpo e tratem-no bem.

Como chegar em Cabaceiras

Eu fui por agência de turismo, em um bate e volta para Cabaceiras e o Lajedo do Pai Mateus que falo nesse post específico.

A princípio essa não era minha opção, pois eu queria muito dormir na cidade, porém estava sem tempo e pelas minhas contas o dinheiro gasto com a agência valeria a pena, achei mais viável. Estava incluso o transporte, taxa de entrada no Lajedo, guia em Cabaceiras e guia no Lajedo, além de um café da tarde. O valor foi R$ 179,00 e fiz com a agência Luck Receptivo.

Se quiser chegar por conta própria, sem carro, é super possível. Se estiver em João Pessoa você pega um ônibus na rodoviária para a cidade de Campina Grande (aquela do maior São João do Brasil). De Campina Grande sai um ônibus para Cabaceiras. Infelizmente eu não sei dizer os horários e preços.

Já em Cabaceiras, se estiver sem carro poderá se locomover de moto-táxi.

Hospedagem 

Encontrar hotel em Cabaceiras pela internet não será tarefa fácil. Existe, mas as informações não são boas o suficiente, pelo menos foi o que passou na minha cabeça na época.

Minha intenção, caso fosse dormir por lá, era a de chegar na cidade e ali procurar hospedagem. Fiquei sabendo que existem campings em Cabaceiras também.

Os hoteis que encontrei o nome para vocês pesquisarem são: Vale Verde Pousada Bar e Restaurante, Berro do Bode Pousada e Restaurante, Pousada Familiar Shalom, existem outros mas que são mais longe na cidade de Boqueirão há mais ou menos 25 minutos de carro de Cabaceiras, como o Hotel Chique Chique e Hotel Varandas.

Lembrando que não sei nada sobre esses hoteis, apenas estou deixando aqui os nomes e páginas do Facebook para caso tenham interesse, procurar telefone ou outro contato.

O hotel que você vai encontrar informações tranquilamente é o Hotel Fazenda Pai Mateus, que tornou-se mega conhecido após locar o elenco da minissérie Onde Nascem os Fortes da Rede Globo, que gravaram no Lajedo de Pai Mateus.

Esse hotel é a porta de entrada para o Lajedo, não tem como visitá-lo sem passar por ele. Conto com detalhes no post exclusivo sobre o Lajedo.

O que fazer em Cabaceiras

  • Placa Roliúde Nordestina:

A primeira parada e a mais legal, em minha opinião, foi logo na entrada da cidade, ao nos depararmos com uma placa gigante escrita em branco ROLIÚDE NORDESTINA. Desse jeitinho mesmo, abrasileirado e tudo mais.

Essa placa existe porque a cidade de Cabaceiras é considerada realmente a Hollywood Nordestina, mas como bons brasileiros, não iriam deixar a placa americanizada, não é mesmo?o que fazer em cabaceiras

São inúmeros seriados e filmes gravados ali, como eu disse lá no início do post, e muito disso se dá por conta da baixíssima chance de chover na região.

A cidade, seus moradores, suas casas e seus objetos se tornam cenários para diversas películas, inclusive, os moradores adoram tudo isso. Foram gravados ali: O Auto da Compadecida, Canta Maria, Beiço de Estrada, Por Trás do Céu, Viva São João, Madame Satã e vários outros.

  • Museu Histórico-Cultural dos Cariris Paraibanos

Um museu que nos apresenta a historia dos moradores da região, com documentos, peças e artesanatos desde a pré-história, e conta com muitos materiais dos índios cariris, que viviam pela região do agreste, borborema e no atual sertão.

São dois predios de museu, um deles serviu de cadeia pública na cidade, onde contam que em 1910 foi invadida por um cangaceiro famoso chamado Antonio Silvino, que ateou fogo no local para libertar alguns presos. Já o outro predio era a residência oficial dos prefeitos.

Visitando o museu, vemos testamentos como o de Isabel Rodrigues de Oliveira, documento de 17 de julho de 1735, onde ela declara possuir escravos, objetos valiosos, terras e faz uma petição sob onde deveria ser enterrada.

É aqui nesse museu onde ficam os guias da cidade que podem te levar para fazer todos esses passeios que eu relato nesse post.

  • Bar do Zé de Cila:

No meio da cidade, fica na verdade uma lojinha que vende de tudo um pouco, cachaça, artesanato, itens em couro de bode, enfim. Seu dono é o Zé de Cila, que ao ver os turistas se aproximando, sai correndo para vestir uma batina de padre.

Explico: ele foi dublê do Padre João, personagem de Rogério Cardoso no Auto da Compadecida, e tem muito orgulho disso. Inclusive, ele possui pendurado no meio de sua loja um diploma de ator emérito. Ele é uma figura e na minha opinião um patrimônio da cidade haha Com toda certeza esse é um ponto que não dá para não visitar em Cabaceiras.

  • Memorial Cinematográfico:

E claro, na Roliúde Nordestina não poderia faltar um museu com fotos das gravações que a cidade serviu de cenário não é mesmo?

Em sua maioria, fotografias e recortes de jornais e revistas estão espalhados pelo memorial, onde podemos conhecer ou relembrar um pouco das obras que Cabaceiras serviu de palco.

  • Festa do Bode Rei:

Cabaceiras, como eu já disse, é uma cidade deserta, a não ser que seja época da festa do Bode Rei, super tradicional, contando com feiras, cursos, artesanato, competições, forró pé-de-serra e a famosa tapioca com carne de bode.

A festa acontece de maio a junho e enaltece, também, a caprinocultura, mas caso você visite em outra época, como eu, pode se contentar com a Praça do Bode.o que fazer em cabaceiras

Na praça tem uma escultura de bode onde as pessoas alisam sua parte íntima e fazem 03 pedidos, e diz a lenda que não pode ser sobre a parte financeira.

  • Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição:

Enfim, conheci a igreja do filme O Auto da Compadecida, obra do paraibano genial Ariano Suassuna.

Como estávamos fazendo uma visita guiada, essa parte foi mega divertida, pois ao adentrarmos na igreja, nossa guia começou a relembrar as cenas do filme e a falar algumas frases famosas que foram ditas ali. Não tinha como não rir.

E na parte de trás da Igreja Matriz fica uma pintura que também apareceu muito no filme e talvez seja até mais reconhecida do que a frente dela.

Eu não sou muito fã de turismo religioso, até aprecio arquitetura de algumas igrejas, mas essa foi bem especial por conta do filme mesmo.o que fazer em cabaceiras

 

Você pode gostar

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *