O que é um hostel e como funciona?

O que é um hostel e como funciona

Muitas vezes perguntas que para alguns são meio bobas, para outros fazem total sentido, tipo O que é um hostel? Como é ficar em um hostel? Como funciona?

Para quem viaja e fica nesse tipo de acomodação é algo que fazemos sem pensar muito. Mas eu sei que tem muita gente por aqui que não tem tanta noção sobre o que é um hostel. Qual a diferença para um hotel? Eu perco totalmente a privacidade? Por ser tão barato é uma hospedagem horrível? E outras dúvidas que muitos acabam se perguntando.

Tem até quem sinta um pouco de preconceito com hosteis. Digo isso, pois minha irmã é uma dessas pessoas que só de eu falar em hostel ela já fecha a cara. Mas a levei para uma experiência e não é que ela começou a aceitar melhor a ideia desse tipo de hospedagem?

Então, para que você não fique mais com tantos questionamentos, resolvi explicar minhas experiências em hostel, no geral.

Como foi viajar sozinha pelo Pará

E se, por acaso, você já se hospedou num hostel, me conta nos comentários como foi sua experiência. Caso você leia esse post e se sinta tentado a se hospedar pela primeira vez, vem contar depois o que achou. Isso ajuda nossos futuros leitores!

O que é um hostel e como ele funciona?

Hostel é uma forma de hospedagem legal, que possui uma vibe mais descontraída, com menos luxos (em tese) e regalias que um hotel geralmente oferece.

Além de ser um espaço bem mais econômico.

O que é um hostel e como funciona

Você pode estar mais familiarizado com o termo albergue também, que possui a mesma premissa. Porém o hostel é geralmente conhecido por ser muito mais despojado e geralmente com ótimas localizações.

É um espaço que comporta viajantes que queiram tanto economizar na diária quanto quem gosta de interagir e conhecer pessoas diferentes.

Tem quem possa pagar um bom hotel, mas prefira se hospedar em um hostel, justamente pela atmosfera.

Descontos para a sua viagem!

O hostel é constituído por quartos compartilhados, onde ao invés de ter um espaço só para si, você possui uma cama, num quarto com várias outras camas ocupadas por pessoas de diferentes partes do mundo que também estão viajando.

Mas nem sempre um hostel é um local mais simples que um hotel. Tem hostel pelo mundo que dá de 10 a 0 em muito hotel por aí.

A média de uma diária em um quarto compartilhado é de R$ 50,00 mas não há regra, vai depender muito do conceito do estabelecimento, podendo ser bem mais barato do que isso ou bem mais caro.

O que é um hostel e como funciona

Tem hostel com uma pegada mais intimista, outros super descolados, alguns com propostas ambientais, filosofias de vida que integram na hospedagem, por isso é bom sempre pesquisar para se sentir o mais a vontade possível.

Há também quartos privativos e falo sobre isso logo abaixo no texto.

Quartos de um hostel

Como dito acima, um hostel é muito conhecido por ter como prioridade quartos compartilhados.

Esses quartos podem caber de 04 a 20 pessoas, normalmente. Já ouvi gente contando que ficou em um quarto com 50 pessoas, mas isso é mais difícil.

O normal, principalmente no Brasil são quartos que contém de 04 a 12 camas.

O que é um hostel e como funciona

A divisão dos quartos pode se dar entre: quartos apenas femininos, quartos apenas masculinos e quartos mistos (onde homens e mulheres dormem no mesmo ambiente).

Nem sempre há quartos só masculinos, mas em todo hostel que eu fiquei haviam quartos apenas femininos, porém pode ser que só exista quarto misto em determinados hostels.

Eu sempre que viajo opto por ficar num quarto apenas com outras mulheres, mas se não tiver vaga, fico no misto mesmo.

O que é um hostel e como funciona

Banheiros: geralmente possuem banheiros dentro dos quartos e também fora. Eu já fiquei em hostel que tinha banheiro dentro do quarto e com banheiro apenas fora.

Alguns lugares dividem os banheiros em masculino e feminino, mas alguns não. Uma recomendação aqui é sempre usar chinelo quando for tomar banho.

Top 10 capitais brasileiras para conhecer

Dentro dos quartos compartilhados pode haver armário para você deixar seus pertences. Esses armários podem ser gigantes, dando para colocar toda sua mala lá dentro, ou apenas num tamanho em que você consiga deixar seus objetos mais pessoais e valiosos.

Apesar de oferecerem os lockers, não oferecem cadeados. Leve sempre um com você para isso!

Como se trata de um quarto compartilhado, é importante conter sua bagunça e não deixar tudo jogado pelo quarto.

Nos quartos você também encontra tomadas e em muitos deles tomadas e luminárias individuais para cada cama. Há também alguns que possuem cortina na cama, para ajudar um pouco na privacidade.

Existem hostels em que, além dos quartos, você pode ter uma área para montar barraca ou até mesmo um redário, onde você dorme numa rede, tendo no preço da diária um ótimo abatimento.

Tá, mas e os quartos privativos?

Também são opções em muitos hostels por aí, quartos privativos em que você pode ter o quarto apenas para você, ou para você e seu amigo ou namorado e até quartos privativos que cabem uma família.

onde ficar no rio de janeiro

Alguns desses quartos possuem banheiros privativos também, e quartos que são privados mas os banheiros são compartilhados, do lado de fora.

As opções são inúmeras e muitas vezes num mesmo hostel você encontra todas as possibilidades que narrei por aqui.

onde ficar em belém do pará

Para entrar nos quartos também varia muito. Pode ser chave normal, chave magnética ou até mesmo não ter chave (apenas os compartilhados).

Quando tem ar condicionado (o que é na maioria) ele pode ligar e desligar quando o hóspede bem entender, como também pode haver uma regra no hostel dizendo que o ar só poderá ser ligado a partir de tal horário da noite e deverá ser deligado em outro horário da manhã. Isso, aliás, é bem comum.

Vou perder minha privacidade?

Bom, se escolher logo de cara um quarto privativo com banheiro privativo, não perderá mesmo sua privacidade.

Já nos quartos compartilhados você o dividirá com outras pessoas desconhecidas.

E como não tem controle de quem estará no mesmo quarto que o teu, pode ser que ouça alguém roncando na hora de dormir, que ouça vozes chegando de madrugada ou que precise manter bem mais organizadas suas coisas.

Você também precisará estar disposto a não ter um banheiro ao seu dispor durante toda sua estadia.

Quem é que pode ser good vibes?

Haverá momentos em que alguém estará tomando banho ou fazendo suas necessidades, e você terá que esperar essa pessoa sair para utilizar o banheiro.

E, claro, você precisa estar bem em dividir banheiro com pessoas desconhecidas. Minha irmã só aceitou ficar em hostel em quarto privativo com banheiro privativo porque ela tem pavor de dividir esses espaços.

Então sim, você precisa ser alguém um pouco mais desencanado com esse tipo de situação.

Se achar que não está disposto a isso, não tem problema nenhum em preferir um hotel. Isso não te faz uma pessoa metida, mimada ou o que quer que possam falar. Jamais!

RESPEITO É A CHAVE DE TUDO!

Num hostel você encontrará pessoas de todos os cantos do Brasil e do mundo, logo com culturas diferentes (muitas vezes beeem diferentes) da sua.

Saber entender isso é fundamental para o convívio lá dentro. Aliás, não só no hostel né, mas na vida.

Viaje Conectado

Todo hostel tem festa?

Não. E isso é importante ressaltar porque nem todo viajante é de festa. Ás vezes, também, você é da farra mas está em um momento que quer descanso.

Eu já fiquei nos dois tipos de hostel: o party hostel e o bem mais tranquilo.

E é extremamente fundamental que você entenda para qual hostel está indo, porque dependendo do seu estilo ou momento na época da viagem, isso pode fazer toda diferença.

Um hostel que não tem festa também pode ser divertido igual, tendo saídas para passeios turísticos durante o dia e recomendações de baladas a noite.

E até mesmo pode ter uma galera que se reúna na área de convivência do hostel para conversar e trocar ideia um pouco mais de boa.

onde se hospedar na ilha do marajó

Eu já fiquei em hostel que não tinha área de convivência e era extremamente zeloso na questão de barulho.

Mas também já fiquei em hostel com festa nele e é outra vibe, com toda certeza.

Um party hostel é para quem não dorme cedo, realmente, ou não liga pra nada.

Eu mesma quando fiquei em um assim, nem estava com vontade de sair pra beber e dançar, e fiquei no quarto, mas o chão dele tremia (estava no andar de cima de onde rolava a festa) e a música chegava em alto e bom som por lá. Isso não me incomodou porque eu estava em um momento que isso não me atrapalhava.

Inclusive o meu check-in se fez no meio da festa rolando. Cheguei a noite no hostel de mochilão, enquanto a galera estava lá dançando até o chão, todos maquiados e arrumados, me senti um E.T.

Aliás, é bom saber o tipo de público do hostel, pode ser que seja uma galera mais roots, do próprio hostel ou pode acontecer de ir mais pessoas locais da cidade, com outra vibe.

Porém, não sou sempre assim desapegada quanto ao sono e se estivesse em outro momento, com certeza aquilo teria me incomodado demais.

onde ficar em belém do pará

Quais as maiores diferenças entre Hostel e Hotel?

Um hostel é constituído de quartos e banheiros compartilhados. Mesmo havendo os privativos, essa não é a essência.

Num hostel você não vai ter sua cama feita por outra pessoa e não existe serviço de quarto.

O café da manhã pode não existir (raro) ou ser bem simples mesmo, com apenas bolacha (ou seria biscoito?), café e água.

Mas já falando sobre café da manhã em hostel, eu já fiquei em muitos que possuíam um café muito melhor que de vários hoteis em que me hospedei.

Como chegar no Aeroporto de Guarulhos/SP

Esse ponto irá variar muito de um para o outro. Pode ser que exista um baita café da manhã, muito incrível e gostoso, pode ser que seja mediano, pode ser mega simples ou pode não existir.

Também pode acontecer de cobrarem a parte o café da manhã, assim você só paga pelo dia que quiser. Podendo tomar café fora, não precisando se preocupar em acordar cedo (principalmente depois de uma noite de festa) ou até mesmo nem tomar café da manhã, afinal, tem muita gente que não faz essa refeição diariamente.

Tem mais diferenças que você ache pontual?

O que um hostel fornece para seus hóspedes?

Cada hostel será diferente do outro, da mesma forma que um hotel não é exatamente igual ao outro em relação ao que tem para oferecer ao hóspede. Por isso, é bom ficar de olho e ler atentamente as informações de cada um.

Existe hostel bem simples e existe hostel que dá um show se comparado com muitos hoteis pelo mundo afora.

É quase impossível encontrar um hostel sem roupa de cama, wi-fi e guarda-volumes, por exemplo.

33 destinos no Nordeste além das praias

O alcance da internet vai depender da localização do seu hostel, pois às vezes em locais muito remotos, nem mesmo um hotel pode ter acesso à ela.

Quanto à toalha de banho, alguns fornecem, outros alugam na recepção e bem poucos não oferecem.

Você pode encontrar hostel com sala de jogos para interação dos hóspedes, computadores, um ambiente com um bar bem legal onde pode rolar festas dentro do próprio hostel, piscina, jogos de tabuleiro, redes e tantas outras coisas.

O que é um hostel e como funciona

Além de alguns hostels oferecerem festas, muitos fornecem passeios pela cidade para pontos turísticos, por um preço adicional, claro.

Com certeza você irá ter à sua disposição uma cozinha que é coletiva para todos os hóspedes. Isso é algo muito bom de se hospedar num hostel, assim consegue economizar um bocado com alimentação.

Geralmente na cozinha coletiva você tem utensílios para cozinhar e comer, como fogão, microondas e geladeira.

É muito importante que você deixe seus alimentos com o seu nome bem visível, para que não haja confusão com o alimento de outro hóspede.

O que é um hostel e como funciona

Alguns hostels até fornecem sacos ou embalagens com etiquetas para que você deixe anotado suas coisas.

Ah, não esqueça de lavar e guardar toda a louça utilizada.

Hostel é só para mochileiros?

Os mochileiros são a grande parte dos clientes de um hostel e acredito que esse tipo de hospedagem tenha sido criada até mesmo para esse público, que viaja de uma maneira mais barata, que pode estar sozinho e querendo fazer amizades.

Dicas para viajar barato e economizar

Porém, se engana quem acha que só vai encontrar mochileiros dentro de um hostel.

Hoje em dia ele ainda é a principal forma de hospedagem paga de um mochileiro, mas abarca outros viajantes também.

Se você, por exemplo, quer ir de mala de rodinhas para um hostel, pode ir. Não tem regra e não tem julgamentos. Eu mesma já vi várias pessoas com esse tipo de mala.

Já encontrei pessoas dentro de um hostel que não tinham um espírito aventureiro, já encontrei gente que estava morando lá, gente que estava trabalhando de forma voluntária, pessoas que gostavam de dormir o dia todo, pessoas que odiavam festa, pessoas que viajavam sozinhas, acompanhadas, que estavam na estrada há anos, que só foram passar um final de semana.

Se você entende como funciona um hostel e acredita que você se daria bem ali, ele é seu tipo de hospedagem. Independente de você ser mochileiro ou viajante de final de semana.

Estar sozinho ou estar acompanhado faz diferença?

O hostel é sim a hospedagem perfeita para quem viaja sozinho mas não quer ficar só.

Por lá é muito fácil mesmo de fazer amizade e se enturmar para uma festa na cidade ou um passeio em algum ponto turístico.

Eu mesma quando viajo sozinha, mesmo tendo um perfil mais introvertida, sempre acabo fazendo amizades. Parece que tudo conspira.

Mas um hostel não é apenas para os viajantes solos, de maneira alguma. Inclusive é muito comum encontrar duplas, trios ou grupos de amigos juntos. Quanto à isso não precisa se preocupar.

Hóspedes mais jovens x Hóspedes mais velhos

Talvez haja uma desconfiança de que hostel é um ambiente apenas para pessoas jovens, o que é totalmente errado.

Sim, o público em sua maioria deve ser jovial, até mesmo por conta do estilo da hospedagem: compartilhar quarto, banheiro, ter festas. Mas essas coisas em nada impedem que pessoas mais velhas estejam por ali.

Em minhas estadias em hostels já encontrei pessoas com mais de 60 anos que não apenas se hospedavam em quartos compartilhados, mas inclusive em redes.

Aqui vale muito a premissa do: qual é o seu espírito de viajante? Tem gente de 18 anos que não suporta hostel e pessoas com 65 que só viajam se ficarem num hostel.

Vai extremamente da vibe da pessoa, do estilo dela, do que ela busca e do que ela precisa numa viagem. A idade não interfere em nada.

Crianças em hostel

Muitas famílias com crianças optam por ficar em hostel, em quartos privativos. Os estabelecimentos tem opção de quarto privativo tamanho família, com cama de casal e beliche, por exemplo.

Eu já levei minha irmã de 16 anos na época, e ficamos num quarto privativo.

Lembrando que menores de idade não podem se hospedar em nenhum tipo de acomodação sem autorização ou acompanhamento dos pais ou responsáveis.

Seguros Promo

Segurança no hostel

É imprescindível que você leve contigo cadeado para utilizar no locker, onde poderá deixar seus pertences importantes e valiosos que não levará contigo para algum passeio na rua.

Eu sempre opto por hostels em que tenha armários grandes o suficiente para colocar minha mochila dentro, mas nem sempre é o caso.

O que é um hostel e como funciona

Em minhas experiências, nunca aconteceu nenhum tipo de situação ruim, mas lembre-se sempre de fechar bem sua mochila e não deixar nada de valioso nela, mas sim no armário. Pois, por menor que ele seja, com certeza dará para você guardar, pelo menos, seus objetos importantes.

Quando se é mulher, temos mais receios em relação à segurança. Uma das maiores dicas que dou para minhas amigas que estão com medo, é a de procurar ficar em quartos femininos. Isso acaba dando uma acalmada em nós.

E sempre que puder, antes de reservar uma hospedagem, procure avaliações sobre ela na internet. Eu faço isso toda vez e nunca me meti em furadas. O site que utilizo para ler e também deixar minhas avaliações é o Tripadvisor.

Pesquisar e ler o que outros hóspedes tem a dizer sobre aquele local, além de nos deixar mais seguros, nos dá uma visão sobre o hostel em termos de pontos positivos e negativos, o que ele oferece e como são os serviços, sobre barulho, instalações novas ou velhas, se o café da manhã é bom, qual a localização e se conseguirá fazer muita coisa a pé, e muito mais.

Para ver alguns dos hostels que já me hospedei e contei aqui no blog:

→ Hostel em Alter do Chão, no Pará
→ Hostel na Ilha de Marajó, no Pará
Hostel em Belém, no Pará
→ Hostel em Macapá, no Amapá
→ Hostel no Rio de Janeiro, RJ
Hostel em Goiânia
Hostel em Florianópolis, em Santa Catarina
→ Hostel na cidade de Guatapé, na Colômbia
→ Hostel em San Andres, na Colômbia
Hostel em Cartagena, na Colômbia
→ Hostel em Cabo Polonio, no Uruguai
→ Hostel em Colonia del Sacramento, no Uruguai
→ Hostel em Montevideo, no Uruguai
→ Hostel em Nova York

Onde reservar seu hostel?

Toda vez que viajo, minha primeira opção para buscar hospedagem é o Booking.com, um site que é queridinho de muitos outros viajantes também.

Por lá podemos comparar os preços de várias hospedagens, desde um hostel até grandes redes hoteleiras, além de verificar tudo que cada acomodação oferece ao hóspede.

Há muitas opções de hospedagem com cancelamento gratuito, o que, particularmente, eu gosto demais e dou prioridade na hora de realizar minha reserva.

Outra coisa muito bacana, é que quanto mais você reserva por lá, vai conseguindo maiores descontos nas próximas vezes com o programa de fidelidade da Booking, o Genius.

Procurando um hostel? Pesquise no Booking.com!

Gostou desse post? Salve essa imagem no Pinterest para não perder as dicas!

Você pode gostar...

9 Comments

  1. Gabriela Torrezani

    Legal esse post, já fiquei muito em hostel quando era mais jovem, hoje em dia prefiro hotéis ou pousadinhas econômicas.

  2. Camila Coubelle

    Eu sempre fiquei em hostel, e embora hoje prefira ter mais privacidade, muitas vezes escolho um quarto privativo em hostel pelo simples fato de poder interagir com outras pessoas. Ótimo post!

    1. Uma boa estratégia, hein? Consegue ficar na privacidade no quarto, mas tem essa parte da interação que só encontramos num hostel mesmo.

  3. Eu fiquei em alguns hostels quando era mais nova. Você acertou quando disse que respeito é a chave de tudo. Sem isso, nada feito!

  4. Fernanda Scafi

    Que post legal pra ajudar quem nunca ficou em hostel! Eu já fiquei em vários pelo mundo e adoro a economia, a decoração que muitas vezes é bem mais interessante e outras coisas, mas odeeeio uns que tem armário pequeno! Outra coisa que às vezes faz falta é um simples ganchinho pra pendurar a toalha pra secar (muitas vezes o beliche salva, mas nem sempre – dependendo da posição e tals) e um espaço maior para se trocar no banheiro depois que sai do banheiro. Ah, a dica mais importante de todas para dividir banheiro é levar havaianas!

    1. Nossa, real! Isso do gancho para pendurarmos nossas toalhas, seria tão bommmm, faz mega falta mesmo. Nem sempre o beliche consegue salvar. Já fiquei em hostels que tinha varal dentro do quarto ou numa área fora, mas isso não é regra, né.

  5. Nós já ficamos em alguns hostels, mas sempre em quarto privado rs.

  6. Amilcar Camargo

    Meu nome Amilcar fiquei em um Hostel no Uruguai e em Floripa…gostei muito e tem agora a minha preferencia.
    Eu tenho 60 anos.

    1. Oi Amilcar, que legal saber do seu relato e que adorou ficar em um hostel. Bacana demais, adorei. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Follow Me!