Sobre cuidar de um depressivo

Eu queria falar com você que cuida de quem tem depressão ou alguma outra doença da mente, o seu filho, a sua mãe, seu pai, seu avô, você também precisa ser ouvido!

Sei que você acha que está ficando louco e todo dia parece que não vai mais aguentar. Que dentro de casa precisa abrir a porta do quarto da pessoa a todo momento pra ver se ela ainda está respirando, se ela não se jogou da janela, verificar no armário se todas as facas estão no lugar onde deveriam, esconder todos os objetos que possam acarretar numa automutilação ou suicídio (sei que esconde até objetos que talvez nem sejam tão perigosos, por via das dúvidas). Sei que você conta os remédios que tem em casa pra ver se não tá faltando nenhum, morre de medo quando seu filho demora um pouco pra voltar da escola e o faz te acompanhar em todo lugar que precisa ir, sei que você se desespera por só conseguir pedir ajuda numa crise após ela passar porque ou você pega o telefone pra pedir socorro ou segura sua pessoa amada para que ela não acabe com a própria vida.

Sei que você também precisa de colo e abraços, de alguém dizendo que você importa. Eu entendo que essas olheiras aí são das noites que você nunca dorme por estar atenta a qualquer barulho do quarto dos seus pais (ou pela falta de barulho), sei que o café no qual está viciado é por tomar na tentativa de te manter acordado durante o dia e esperto pra qualquer situação que possa ocorrer já que nas noites você não pode dormir e cometer o descuido de seu amado não acordar mais.

Você sente muito peso nas costas, tô sabendo. E engole o choro porque a pessoa que você tá tentando levantar está sempre por perto e você não pode fraquejar perto dela. Sei que você aí que cuida de alguém com uma doença tão cruel como é a depressão já não tem mais vida própria, que seus interesses pessoais sumiram, que trabalhar fora de casa te assusta, que, aliás, fazer qualquer coisa fora de casa não é possível sem o acompanhamento da pessoa que você tanto luta para viver. Sei que você tem se calado e mimado demais essa pessoa porque qualquer “não” já é motivo de crise e você prefere não dar nenhuma razão pra isso acontecer por não ser mais capaz de aguentar outros surtos e sabe que se você se estressar ou tiver um dia de mau humor isso pode afetar seu mundo.

Sei que você também já não quer mais sair de casa, que você está apresentando sintomas depressivos, que está assustada e sentindo-se desamparada. E que nas crises mais intensas você pensou que não iria mais aguentar segurar a pessoa porque a força física dela estava superando a sua, sei que nesse momento você se viu fraquejando e achou que a culpa seria sua por não ter tanta força nos braços como deveria. Sei que seu choro é de desespero por não saber mais o que fazer ou falar pra acalmar a situação, que você se sente um bosta por não ser capaz de fazer a pessoa querer ficar com você e que ouviu muitas vezes que é egoísta sempre que impediu o suicídio do outro. Sei que da sua maneira você também está pedindo socorro.

Parece impossível aguentar, parece que nunca vai melhorar e que eventualmente você irá fracassar, esperando pelo dia que uma tragédia vai acontecer mesmo desejando de todo o seu ser que esse dia nunca chegue e dando tudo que tem para melhorar a situação. Sei como machuca seu coração todas as vezes em que viu aquela pessoa vulnerável e assustada sendo amarrada e levada numa ambulância, mas saiba que nesses momentos esse foi o seu limite e não havia mais nada que você pudesse fazer, acredite nisso e nunca se culpe. Só você realmente sabe o quão pesada é essa carga de lutar diariamente para o outro viver quando ele já entregou os pontos. Como é pesada essa cruz, eu te entendo.

Mas a culpa não é sua, e muito menos da pessoa depressiva. A culpa é da doença que você talvez não consiga imaginar como é, apesar de ler tanto. A culpa é da depressão que escurece tanto a vida de uma pessoa que parece não existir nada de bom no mundo. E não é porque a pessoa não quer, é porque a doença não a deixa sair desse buraco, mesmo que ela tente viu. Continue lutando, porque amor eu sei que você já dá de sobra, essa sua batalha é prova o suficiente, te juro. Não deixe ninguém duvidar ou falar que é falta de amor. NÃO É!

Você tem dado tudo de si, você é uma guerreira numa luta em que uma parte batalha e a outra entregou a espada, tendo que lutar para que o outro queira lutar. A pessoa precisa de tratamento, ninguém cura câncer ou uma dor de estômago que seja, apenas com carinho. A depressão também não acabará assim, porque amor eu sei que tem e as crises acontecerão com qualquer pessoa e não é por falta de afeto. Demonstre sempre sim que você não vai desistir, que a pessoa importa demais e sem ela o mundo perde muita coisa, mas vá buscar ajuda de médicos, não deixe de dar a medicação indicada e se for preciso, tome atitudes um pouco mais pesadas, sempre amparada pelo psiquiatra e psicólogo. São eles que estudaram e sabem a melhor medida cabível, mais ninguém.

E procure você uma ajuda psicológica para te acompanhar, você também precisa. Pra gente enlouquecer numa situação dessas é rapidinho. Pra depressão chegar na gente é bem fácil, você fica suscetível, vulnerável e com uma mente enfraquecida a doença gruda em você também.

 

 

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *