Como chegar na Ilha de Paquetá no Rio de Janeiro

como chegar na Ilha de Paquetá

Um dos passeios que eu mais tinha vontade de fazer na cidade maravilhosa era conhecer a Ilha de Paquetá, mas sempre tinha dúvidas de como chegar até esse ponto do Rio de Janeiro. Descobri, fui visitá-la e trazer as informações para vocês, além de tudo o que tem para fazer por lá.

A Ilha 

A primeira vez que ouvi falar da Ilha de Paquetá foi quando li o texto de uma peça teatral chamada Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues. Ficava imaginando como seria aquele cenário nos dias atuais e creio que continua quase o mesmo.

Tive uma sensação, ao caminhar por lá, que o tempo parou naquele espaço.como chegar na Ilha de Paquetá

A ilha faz parte da cidade do Rio de Janeiro e dizem que metade dos domicílios dali são casas de veraneio. A sensação por lá é de tranquilidade e segurança, diferente da parte da capital no continente.

Fui para passar um dia e saí querendo retornar para passar duas noites naquela calmaria.

Como chegar na Ilha de Paquetá

Como eu estava visitando a região do Museu do Amanhã, fui andando para chegar na Ilha de Paquetá. Precisa pegar uma barca que sai da Praça XV, que está do lado de onde saem as embarcações para Niterói.

como chegar na Ilha de Paquetá
A barca na Ilha de Paquetá

O ticket custa R$ 6,30 cada e recomendo que já compre o da volta aqui. Fique de olho nos horários para não perder a última embarcação de volta.

São 02 andares na barca e cabe muita gente. O dia que visitei estava bem tranquilo com vários lugares vagos. Indico sentar na janelinha mesmo, principalmente se retornar no fim do dia. Pegamos um pôr do sol inesquecível.como chegar na Ilha de Paquetá

Dentro da embarcação alguns ambulantes vendem salgadinho, água e refrigerante.

Confesso que tanto na ida quanto na volta eu dei uma cochilada, porque demora um pouco mais de 01 hora no trajeto. Por isso, também, é bom se programar bem para conseguir chegar cedo e ter bastante tempo para aproveitar na ilha. Não acho que valha a pena ir depois do almoço, porque mal conseguirá ver metade do que tem por ali.

Aqui embaixo deixo os horários de saídas tanto da Praça XV quanto da Ilha de Paquetá. Atente-se bem para conseguir se programar, como vê existe às vezes um intervalo de 02 horas entre a saída de uma barca e a outra.como chegar na ilha de paquetá

Como se locomover

Não existem automóveis motorizados na Ilha de Paquetá, apenas policiais, bombeiros, ambulância, caminhão de lixo e de gás são autorizados.

Escolhi fazer a ilha a pé mesmo. Mas existem outras opções como alugar uma bicicleta por R$ 5,00, uma charrete elétrica (parecida com carro de golfe) por R$ 100,00 durante 01h ou ecotáxi (charretes que ao invés de cavalos, possuem uma bicicleta na frente) por R$ 5,00 cada trecho.

LEIA MAIS:
Onde ficar no Rio de Janeiro – dicas de hospedagem
07 praias que você precisa conhecer no Rio de Janeiro

O que fazer na Ilha de Paquetá

Assim que eu entendi como o clima na ilha era calmo, eu deixei aquilo me envolver. Fui andando sem pensar muito na vida, apenas curtindo uma leseira boa.

A sensação era a de que eu tinha saído do Rio de Janeiro, daquela loucura de cidade grande e isso foi o que eu mais gostei, de poder aproveitar esse momento.

  • Praça Pintor Pedro Bruno: logo ao desembarcar, já vemos essa praça que foi projetada por Pedro Bruno, artista que nasceu na ilha.
  • Caramachão dos Tamoios: um canto para se apaixonar de cara por Paquetá. É lindo, romântico, fotogênico e silencioso. Ótimo para sentar e ficar contemplativo. Também foi um projeto de Pedro Bruno.
  • Paróquia Senhor Bom Jesus do Monte: a igreja matriz da ilha de estilo neogótico, já avistamos ao chegar dentro da barca.
  • Árvore Maria Gorda: um baobá com mais de 7 metros de circunferência. Tem uma placa bem interessante nela dizendo que quem à dá carinho, terá sorte. Já quem faz maldade, terá 07 anos de azar. Acho justo ser assim com tudo que provém da natureza!
  • Pedra da Moreninha: Paquetá ficou mega conhecida ao ser retratada no romance A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo. Aqui, a pedra da Moreninha é um mirante com vista da orla da Ilha de Paquetá.
  • Ponte da Saudade: há uma lenda que diz que o escravo João Saudade rezava ali todos as noites para reencontrar com sua esposa e filho que estavam na África. Um belo dia João desapareceu e todos acreditaram que uma estrela atendeu seu pedido e o levou embora.como chegar na Ilha de Paquetá
  • Pedra dos Namorados: localizada na Praia José Bonifácio, aqui paira outra lenda. Quem jogar, de costas, três pedrinhas em direção ao topo da Pedra dos Namorados e pelo menos uma delas não cair no mar, terá sorte e correspondência no amor.como chegar na Ilha de Paquetá
  • Parque Darke de Mattos: um local que possui muitos mirantes com vista panorâmica da Baía de Guanabara.
  • Cemitério dos Pássaros: um ambiente muito incomum para a minha pessoa. Por lá vemos vários túmulos de passarinhos que os moradores enterraram.
  • Casa da Moreninha: a casa de cor rosa que foi utilizada nas filmagens da novela da Rede Globo, A Moreninha. Acabei não passando por ela, pois já estava muito tarde.

Praias da Ilha de Paquetá

Meu intuito não foi o de curtir as praias da ilha, ainda mais com o pouco tempo que tinha. Aqui deixo uma lista delas para que você conheça.

Praia dos Tamoios: homenagem aos índios Tamoios, muito frequentada pelos moradores e não possui estrutura.

Praia da Catimbau: não passei por ela, mas parece ser bem calma já que fica no extremo norte da ilha.

Praia da Moreninha: a mais famosa da Ilha de Paquetá, contém estrutura de barracas que vendem salgados e bebidas para quem curte por ali.como chegar na Ilha de Paquetá

Praia da Guarda (Praia José Bonifácio): estava mega agitada quando passei por ela, contém restaurantes, barracas, caiaques e pedalinhos para quem curtir por ali. O som também estava animado.como chegar na Ilha de Paquetá

Praia dos Frades (Praia Manoel Luiz): a praia mais ao sul da ilha.

Praias da Imbuca, Moema e Iracema: as praias mais virgens de Paquetá, não passei nem perto delas.

Praia das Gaivotas: aqui fica o Farol da Mesbla e rende fotos incríveis para quem tiver tempo de passear por ali.

Existem outras praias pela Ilha de Paquetá, porém essas foram as que conheci ou ouvi falar durante meu passeio por lá.

Vi algumas pessoas se banhando nas águas da Baía de Guanabara, que rodeia a ilha. Apesar de falarem que é própria para banho, eu não entraria. Vi muito lixo na água, o que partiu meu coração e me deixou alerta.

Você verá muitas praças e muitas construções antigas e fofas. Muitas com histórias para contar. Como eu tinha apenas metade de um dia, claro que não deu para conhecer tudo a fundo.

Enquanto você passeia pela ilha, verá várias pedras, além da Moreninha e dos Namorados, e são várias que contém nomes e lendas as envolvendo. Vale a pena perguntar aos moradores.

É isso! Espero que agora que sabe como chegar na Ilha de Paquetá, aproveite muito o que ela tem a oferecer.


Caso queira procurar hospedagem no Rio de Janeiro, indico fazer a busca pelo Booking.com. Toda reserva que você faz por um link aqui do blog eu ganho uma comissão, enquanto você não paga nada a mais por isso. E ainda ajuda a manter o Além da Curva no ar, com muitas novidades sempre.


 

Você pode gostar

9 Comentários

  1. Quanta lindeza nessa ilha. Fiquei morrendo de vontade de conhecer. Amei as informações e dicas desse cantinho especial da Cidade Maravilhosa.

  2. Ju do céu, eu acho uma graça Paquetá! Quando fui pro RJ em abril do ano passado, tava pensando em fazer esse passeio, mas acabou que não deu certo.
    Tô com as suas dicas aqui anotadas pra tentar tirar esse roteiro do papel da próxima vez que for à Cidade Maravilhosa

  3. Ah Ju, que post mais gostoso de ler! A última vez que fui à Paquetá eu era criança, então ver estas imagens e ler seu relato me deixou com uma saudade tão boa! Achei que mudou bem pouco de quando eu fui, vou querer voltar pra rever este pedacinho da minha história. 🙂

  4. Ju, vc me deu otima ideia agora. Moro em Juiz de Fora e sempre estou no Rio mas nunca fui à Ilha de Paquetá, acredita? Tá aí, vou tirar um fim de semana pra isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *