Na casa do Carimbó

Que o universo um dia nos conecte novamente! Foi assim que me despedi de uma turma de quatro rapazes hoje. A maré da praia deserta de Fortalezinha começara a baixar e depois para atravessar para o lado onde eu deveria encontrar o moto-táxi que combinou me pegar as 16 horas, só pela lama que viria até o joelho. Assim, peguei meu livro e decidi voltar mais cedo. Descendo da rabeta que pega-se quando a maré ainda está alta, fui andando à minha direita e encontrei […]

Continue Reading

Você pode gostar