Introdução a Survivor: o reality show que inspirou a versão brasileira No Limite!

survivor versao brasileira no limite

Survivor é o meu reality show favorito e estou há anos ensaiando um post de introdução ao programa, agora que a versão brasileira No Limite vai voltar às telinhas, resolvi, enfim, dar vida a este post.

Aqui você vai encontrar como funciona esse programa e o porquê ele é o melhor de todos (na minha nem tão humilde opinião kkk).

Se você gosta ou simpatiza com No Limite, tem muitas chances de se apaixonar por Survivor, mas no fim do post eu dou alguns motivos pelos quais você pode se decepcionar com o programa televisivo dependendo do tipo de telespectador que você seja.

LEIA TAMBÉM:
Séries leves para assistir na Netflix

Bora lá pra aulinha de Introdução ao Survivor!

Foto: Reprodução

O reality show Survivor

Um programa dos Estados Unidos transmitido pelo canal da CBS, onde pessoas são “deixadas” em um lugar isolado e competem entre si por um prêmio em dinheiro.

No começo são divididos em duas ou mais tribos até a metade do programa onde acontece a merge (fusão) e todos os que restaram jogam juntos até a final, que pode ser de 2 ou 3 pessoas.

As votações de cada Conselho Tribal para eliminar e dar o prêmio são decididas pelos próprios participantes do reality, ou seja, não há interferência do público em nenhum momento.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

A primeira temporada teve sua estreia em 31 de maio de 2000 e de lá pra cá já somam 40 temporadas finalizadas, todas apresentadas por Jeff Probst. Ou seja, são duas temporadas por ano e a gente agradece muito.

O sucesso é tão grande que países como Austrália, Nova Zelândia e África do Sul também possuem suas versões de Survivor. Inclusive a Austrália é muito boa e também recomendo!

Foto: Reprodução

O gameplay (estilo de jogo) já foi modificado desde o seu início, onde antes havia uma preocupação muito grande em sobreviver aos elementos da natureza, sendo que hoje isso fica em segundo e até mesmo terceiro plano, porque os participantes já chegam no modo “jogador estrategista” desde a hora que desembarcam na praia.

Um “ps” aqui para que vocês saibam: há uma jogadora brasileira em Survivor, Abi-Maria Gomes, que é puro entretenimento e participou duas vezes, em Survivor Filipinas (25) e Survivor Cambodia (31).

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Cenários de Survivor

Como podem imaginar, Survivor já passou por diversas locações do globo em suas 40 temporadas. A maior parte é em ilhas paradisíacas, sendo que Fiji foi cenário fixo das últimas 8 temporadas.

Foto: Reprodução

O Brasil também serviu de cenário do reality show americano por duas vezes: a 6ª temporada (2003) foi gravada no Amazonas e inclusive é ótima, e a 18ª (2009) nos apresentava, numa época em que os brasileiros ainda não conheciam seu próprio país, o Tocantins, com cenários e uma tribo intitulada Jalapão.

Inclusive em minha viagem pelo Jalapão fiz questão de comprar um ímã de geladeira nos moldes do logo Survivor Tocantins – Os Planaltos Brasileiros.

Foto: Reprodução

Além desses cenários mencionados tivemos a 3ª temporada no Quênia e a 17ª no Gabão, na África, nove temporadas na Ásia, sendo a 1ª em Borneo, a 5ª na Tailândia, a 15ª na China, de 25ª a 28ª nas Filipinas e as 31ª e 32ª no Camboja.

Na América Central tivemos a 7ª, 8ª e 12ª no Panamá, a 11ª no Guatemala e as 21ª, 22ª, 29ª e 30ª na Nicarágua.

Foto: Reprodução

Já a Oceania teve a 2ª temporada na Austrália, a 4ª em Marquesas, a 10ª e 16ª em Palau, a 13ª nas Ilhas Cook, a 14ª e as últimas 8 (da 33ª a 40ª) em Fiji, as 19ª, 20ª, 23ª e 24ª em Samoa e a 9ª em Vanuatu.

Os grupos

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

No primeiro episódio conhecemos os participantes e eles já são divididos pela própria produção em duas ou mais tribos. E os conceitos para a divisão algumas vezes são aleatórios, por sorteio, metade indo para o time que usará a bandana amarela e a outra metade para o grupo com a bandana roxa, outras vezes eles puxam os participantes mais velhos para escolherem os seus times.

Em outras temporadas as tribos foram divididas por gênero (homens x mulheres) ou por gerações (millennials x gen X).

A profissão das pessoas também já foi alvo de divisão das tribos, assim como a forma como enxergam o mundo. Tiveram temporadas em que os participantes jogavam contra seus familiares também, o que rendeu momentos icônicos, chamada Blood x Water.

30 músicas brasileiras sobre viagem

Uma das divisões mais polêmicas foi a étnica, na temporada 13, onde tivemos inicialmente quatro tribos divididas em: afro-americanos, caucasianos, hispânicos e asiáticos. Não é uma ótima temporada, mas tem jogadores importantes que retornam.

Mas se essa divisão não foi muito aclamada, a separação em três tribos entre os Bonitos, os Nerds e os Músculos, foi certeira.

Foto: Reprodução

Como mencionei, existem temporadas com participantes que retornam para jogar e as divisões são ótimas: colocam em uma tribo fãs do programa que ainda nunca haviam jogado e do outro lado alguns dos jogadores favoritos deles, o que nos dá uma das melhores temporadas de todos os tempos, que está no ranking de praticamente todo fã do programa. ÉPICO DEMAIS!

Outra divisão maravilhosa que temos das tribos de retornantes é a icônica Heróis x Vilões, onde convidam 10 participantes queridinhos do público ou que fizeram um jogo super limpo para jogar contra 10 participantes que alguns até foram queridos, mas jogaram “sujo”. Outra obra de arte!

A temporada de número 40 não teve divisão mas foi épica simplesmente pelo fato de se chamar Winners at War (Vencedores em Guerra), onde somente pessoas que ganharam o jogo retornam e competem entre si.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Regras do Survivor

Ao chegar e conhecer sua tribo, os participantes pegam um mapa e vão procurar seu acampamento.

Lá só tem uma bandeira com o nome da tribo (alguma palavra associada com o país que estão ou o tema da temporada), bolsas, cantis e um mapa para encontrar um poço de água. Mais nada.

Foto: Reprodução

O abrigo onde irão dormir precisa ser construído do zero e é ali onde eles possuem a primeira interação real e já começam a formar seus grupinhos dentro do grupo maior.

Esse abrigo é feito de bambu e pedaços da natureza que encontram onde estão. A comida que eles irão comer (fora as das recompensas), também são buscadas na natureza.

As provas:

São basicamente duas provas durante todo o jogo: de recompensa e de imunidade. As recompensas podem ser comidas, dia de spa, artigos de pesca, temperos e artigos de conforto como almofadas, lonas e redes.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Na fase tribal, antes da merge, as recompensas são para todo o grupo. Quando o jogo começa a ser totalmente individual, pós fusão das tribos, as recompensas são individuais.

Nessas individuais muitas vezes o jogador que ganhou pode convidar mais uma, duas ou três pessoas (depende do Jeff) para se juntar a ele.

É sempre importante ficar atento porque podem haver vantagens escondidas nas recompensas, tanto na fase tribal como na individual. Já teve vantagem escondida no pacote de arroz, dentro de guardanapo, de garrafa, etc.

Foto: Reprodução

Já a prova de imunidade garante uma segurança para aquela tribo ou pessoa que a ganhar.

Antes da merge os jogadores, divididos em tribos, jogam juntos contra a outra equipe e quem ganhar, fica salvo de ir encontrar o Jeff no Conselho Tribal e eliminar alguém.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Quem ganha a primeira prova de imunidade, ganha também uma pederneira para ajudar a fazer fogo (que é essencial).

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Na fase tribal o grupo ganha um ídolo da imunidade em forma de totem, já depois da merge o ídolo vira um colar da imunidade.

As provas são de resistência física e intelectual, algumas rápidas e outras que demoram horas para acabar.

Pode ser desde se manter agarrado a um pedaço de tronco pelo maior tempo que conseguir até circuitos onde as pessoas precisam nadar, pular, correr, carregar objetos pesados e no fim ainda completar um quebra-cabeça difícil.

É muito raro mas acontece de uma tribo ser muito superior a outra e não perder nenhum desafio na fase tribal, o que acaba ficando um saco de assistir pela obviedade de uma tribo dominando a outra e só vai melhorar quando as tribos se fundem.

Uma das coisas que a versão brasileira do reality show Survivor, No Limite, ficou extremamente famosa, foi pela prova da comida, onde os participantes precisavam comer macarrão de minhoca e olho de cabra para vencer. E no programa americano, isso tem também?

Foto: Reprodução

São pouquíssimas temporadas que eles utilizaram desse tipo de prova, mas já teve sim! E ver alguém comer uma lesma ou um ovo choco é tão nojento quanto ver alguém mordendo um olho de cabra.

Mas Ju, você disse ali em cima que algumas temporadas tem três ou mais tribos antes da fusão, como funciona a imunidade nesse caso?

As tribos competem e quem ficar por último será o único grupo a visitar o Conselho Tribal. Em raras ocasiões, Jeff anuncia que somente uma tribo ganhará, enquanto as outras duas irão eliminar alguém de suas tribos.

Foto: Reprodução

Nas provas de recompensa geralmente quem vence em primeiro lugar ganha uma recompensa grande, quem fica em segundo lugar ganha algo menor e quem ficar por último não leva nada.

Fusão e trocas de tribos

Quando se inicia Survivor, cada jogador vai para uma tribo, mas no meio do caminho Jeff pode falar a famosa frase “Joguem no chão suas bandanas, vamos mudar as tribos”.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Isso significa que o jogo ainda é em tribos, mas eles vão sortear bandanas novas, o que pode acarretar na divisão de uma tribo que estava forte, de alianças e na criação até de mais uma tribo que ainda não existia.

É uma coisa boa, principalmente quando o jogo está previsível demais.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Se uma nova tribo for criada, eles terão que ir para uma praia nova e construir seu abrigo do zero, tudo de novo.

Já no caso da tão esperada merge (fusão das tribos para o jogo individual), eles vão todos para o mesmo acampamento, geralmente o com a melhor praia e abrigo, extinguindo as tribos anteriores e tendo que criar um novo nome da tribo unificada.

Foto: Reprodução

Quando a merge acontece, quando chega-se próximo de 10 jogadores no jogo (mas isso varia), há um banquete esperando pelos jogadores e em algumas vezes há pistas e vantagens escondidas ali.

Foto: Reprodução

Ídolos e vantagens escondidas

Quem assiste desde a primeira temporada consegue perceber o quanto o jogo teve que evoluir junto com seus participantes. Pensando nisso, ao longo das temporadas foram inserindo algumas vantagens que apimentariam mais ainda o jogo. Algumas deram certo, outras não, normal.

Foto: Reprodução

A vantagem mais famosa inserida é o ídolo da imunidade escondido. No começo, quando foi inserido, as pessoas o encontravam por pistas que achavam no acampamento ou em recompensas. Mas com o decorrer do programa, muitos foram os jogadores que nem esperaram encontrar uma pista e já foram procurar logo de cara… e acharam!

Foto: Reprodução

Esse ídolo pode ser utilizado a qualquer momento até haver 4 participantes no jogo e funciona da seguinte maneira: a pessoa pode usar o ídolo para ela ou para outra pessoa, basta na hora que o Jeff, no Conselho Tribal, pegar a urna antes de dizer que vai começar a contar os votos, essa pessoa se levantar e falar que quer usá-lo.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Ele garante que nenhum voto dado na pessoa que o usou, seja contado, eliminando, assim, a segunda pessoa mais votada da noite. Ele tem que ser sempre utilizado antes da contagem dos votos. Mas depois o programa inseriu o Super Ídolo, que permite a pessoa que o detenha, a utilizar esse ídolo após a contagem dos votos e não desperdiçar nada.

O ídolo da imunidade já rendeu momentos lendários, onde pessoas foram eliminadas porque alguém usou em si próprio e ela foi a segunda mais votada, onde pessoas não utilizaram o ídolo e foram embora com ele no bolso.

É incrível como isso balança o jogo ou só faz alguém ser lembrado pra sempre de não o ter utilizado e ser estúpido por isso.

Há também momentos ótimos com a criação de ídolos falsos, onde um jogador que está na berlinda, cria esse ídolo falso para gerar dúvida nos outros competidores e tentar se safar da eliminação.

Inclusive, quem geralmente encontra o ídolo verdadeiro não conta pra ninguém que o tem ou só conta como estratégia pra gerar medo, manter ou conquistar um aliado.

Quando alguém desconfia que poder haver uma pessoa com um ídolo, eles fazem de tudo pra votar essa pessoa pra fora ou fingir que vai votar nela, para que ela use o ídolo e ele seja exposto.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Existem outras vantagens como um voto extra no conselho tribal, roubar o voto de alguém (essa pessoa não vota e a pessoa que roubou vota duas vezes), enviar um ídolo para alguém da outra tribo, começar uma prova com menos peso, um anulador de ídolo e muito mais.

Elas não aparecem em todas as temporadas desde que começaram a ser inseridas, assim como o super ídolo.

O Conselho Tribal

Ao perder uma prova quando o jogo está na fase de tribos, somente esta irá visitar Jeff Probst no Conselho Tribal. Na fase pós merge, todos vão para o conselho.

Eles chegam e o apresentador pede para que acendam uma tocha com fogo, porque “Fogo é a sua vida, se ele está aceso, significa que você está no jogo”.

Todos sentam e Jeff começa a conduzir perguntas para alguns participantes, tentando extrair informações deles e cutucar para possíveis tretas. Às vezes dá certo e a confusão se arma inteira, outras vezes alguém escuta algo que não gosta e muda seu voto, outras vezes ninguém fala nada demais para não se comprometer.

Tem conselhos que são super chatos, mas outros que explodem a cabeça do telespectador e a gente quer rever um zilhão de vezes pra entender o que aconteceu ali.

Muitas pessoas vão com uma ideia de quem irão votar e no conselho mudam totalmente. Esgotado o assunto daquele conselho, Jeff avisa que é hora de votar.

Como funciona a votação em Survivor

Jeff chama um por um dos participantes para ir até o local da urna e votar.

Ali tem, além da urna, papeis e uma caneta. Cada pessoa escreve um nome no papel, que é o do jogador que ela quer eliminar. Depois que todas votam, Jeff busca a urna e começa a contar os votos. Quem receber a maioria dos votos, será eliminado.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Em caso de empate, todos os participantes votam, exceto os que levaram votos. Se permanecer empatado Jeff pergunta se alguém vai querer mudar o voto e caso ninguém queira, ou seja, todo mundo continue bancando seu voto na pessoa e deixando tudo empatado, a votação vai para as pedras e é aqui que fica perigoso para os outros.

No caso de ninguém mudar seu voto, as duas ou mais pessoas que receberam votos e estavam empatados, ficam automaticamente imunes junto com o vencedor da prova de imunidade, se a votação for pós merge, e os outros jogadores irão sortear de dentro de um saco, pedras.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Quem pegar a pedra branca, continua no jogo e quem sortear a pedra preta será eliminado.

A regra é que alguém será eliminado, de uma forma ou outra. E sim, já tivemos momentos emocionantes (e burros por parte de quem saiu do programa por isso) de eliminação por pedra.

Quando restam 4 pessoas e a final será composta por 3 jogadores, pode haver também empate entre dois participantes. E aqui a solução para decidir quem vai continuar no programa e ter a chance de expor seu caso para o júri é numa decisão, muitas vezes emocionante, por fogo.

É como o Jeff diz, se depois de mais de 30 dias em Survivor, a pessoa não aprendeu a fazer fogo, ela não merece estar ali. Continua, então, no jogo, quem fizer o fogo subir mais rápido.

Assim, a outra pessoa pega a sua tocha e vê seu fogo ser apagado por Jeff Probst: “A tribo decidiu, é hora de ir embora”.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

O Júri

Normalmente o júri começa a ser formado após a merge, mas já teve temporada que ele começou na fase tribal ainda.

Os membros do júri em Survivor são compostos por participantes que foram eliminados, mas não vão embora do programa. A cada Conselho Tribal eles voltam e acompanham toda a discussão sem poder falar nada. Isso não impede que façam caras e bocas e conversem entre si e gere muito entretenimento pra gente.

Foto: Reprodução

A missão do júri é no último conselho votar para decidir quem deve ganhar o título de Sole Survivor e a grana que vem com ele. Por isso que ele participa de todos os conselhos, para apurar informações, perceber o jogo de cada pessoa e formar uma decisão mais certeira de quem ele quer premiar.

Tem júri que é super de boa e premia quem jogou melhor, mesmo que tenham sido adversários no jogo, mas tem júri que é amargurado e não vota no melhor por isso.

A formação do júri é algo muito importante porque dependendo de quem estiver ali, uma pessoa pode ganhar ou perder o programa.

Ele é composto normalmente quando restam 9 eliminados, mas não tem uma regra certinha da quantidade, podendo ser mais ou menos.

A grande final

A final é composta por duas ou três pessoas, jogadores que conseguiram prevalecer aos demais, cada um com sua estratégia.

Tem muito jogador que acaba sendo carregado até a final por outro jogador por estratégia também. O jogador A pensa que se for com o jogador B ele não ganha, então elimina esse e faz de tudo para que o jogador C vá com ele até a final, porque sabe que este não vai receber nenhum voto, pois não jogou direito.

Já outros jogadores, mesmo estando o tempo todo no bottom, tem um jogo físico tão surpreendente, que se garantem na final ganhando imunidade atrás de imunidade.

Foto: Reprodução

Chegando o último conselho, os jogadores fazem um discurso de abertura contando um pouco do seu jogo pro júri. Aqui eles mostram seu currículo: o que fizeram, quem saiu por conta de uma jogada deles, etc.

Depois disso Jeff abre para o júri fazer suas considerações e perguntar o que quiser para os finalistas. Essa é a primeira vez que o júri pode se dirigir a eles depois que foram eliminados.

Tem gente no júri que faz pergunta boba, outros perguntam algo muito inteligente, alguns só fazem uma consideração e perguntam nada, e outros atacam e destroem alguns dos finalistas de tão amargurados que estão. E isso nos dá cenas épicas!

Tem discurso do júri que a gente dorme, mas tem outros que a gente quer aplaudir.

Depois disso, Jeff abre a votação e cada membro do júri vai até a urna e deposita seu voto em quem quer que ganhe a temporada. Mas a leitura dos votos não é feita naquele momento.

Primeiro a CBS passa toda a temporada de Survivor para o público (ela é gravada por inteiro até a votação do júri) e no último episódio faz um programa ao vivo para ler os votos e anunciar o vencedor.

Daí tem uma reunião com os participantes também ao vivo (que estão todos arrumados e maquiados que a gente nem reconhece eles), onde comentam alguns momentos que ficaram na mente do público que foram maravilhosos e falam se ainda tem birra de algum participante.

Foto: Reprodução

Survivor já teve todo tipo de vencedor, cada um com seu jogo, com estratégias bem diferentes.

Blindsides

Esse é o termo em inglês e muito utilizado no programa quando alguém é eliminado e não imaginava, ou seja, foi enganado. Ocorre muito no programa e é o que o público do reality espera.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Pessoas traindo suas alianças originais, mentindo e mandando alguém embora utilizando um ídolo da imunidade ou mandando alguém embora com um ídolo no bolso são jogadas épicas quando acontecem.

Digo isso porque nem sempre o timing da jogada é certo e por isso também que muitos jogadores ainda preferem se manter mais conservadores e seguirem com suas alianças.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Mas os blindsides por serem bem vistos pelo público, são sempre almejados pelos participantes, que querem ter uma boa jogada no currículo para apresentar no final pro júri.

Eliminar a maior ameaça, ainda mais em um blindside é ouro nesse jogo.

Será que vou gostar de Survivor?

Diferente de realities shows onde o público tem total controle de quem é eliminado, em Survivor nós não damos um pitaco. Eu prefiro assim, porque mostra mais o lado estratégico e que não se preocupa com cancelamentos excessivos dos jogadores.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Mas se você se irrita muito fácil com jogadores que não são queridos do público, que chegam (e até mesmo vencem) um programa, você vai se estressar com Survivor.

Assistindo ao BBB eu vejo como o público do país sempre torce e dá o título pra pessoa que geralmente é desprezada pelos demais participantes. Quem entra ali também joga com estratégia, mas geralmente é a estratégia da vítima. Eu não gosto, prefiro jogos mais agressivos (e não significa que pra ser mais agressivo NO JOGO precise ser escroto não).

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Em Survivor isso da vítima quase nunca acontece. Ganha quem faz o melhor jogo social interno e elimina suas ameaças primeiro. E para eliminar as ameaças muitos jogadores mentem e enganam até mesmo seus aliados do começo do jogo, porque sabem que se chegarem na final com esses “amigos”, eles não tem chance de ganhar.

E o objetivo aqui é ganhar. Inclusive tiveram frases de participantes que ficaram famosas nesse pensamento: “Não vim aqui pra fazer amigos” e “Não sendo eu, voto em qualquer um”.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Tá, mas e como eu assisto Survivor?

Infelizmente, não é fácil encontrar onde assistir Survivor aqui no Brasil, por isso damos aleluia da Globo retornar com a versão brasileira do reality show, o No Limite. Mas se quiser você encontra no Prime Video ou no grupo do facebook A Tribo Falou, eles postam de vez em quando outras opções disponíveis.

Outra coisa importante sobre como assistir é que, por ser um programa muito antigo e o jogo ter evoluído muito, você pode achar as primeiras temporadas maçantes, além da qualidade do vídeo ser bem inferior ao que assistimos hoje em dia.

Foto: Reprodução

Porém, começar aleatoriamente pode te dar spoilers de temporadas com retornantes (caso você se importe com isso né?) e talvez não seja bom.

Eu recomendo duas temporadas para meus amigos começarem a assistir sem spoiler: a 7ª, Survivor Pearl Islands, que embora antiga, tem um ótimo gameplay, é dinâmica, engraçada desde o começo e uma pessoa vencedora maravilhosa, fora as mentirinhas contadas ali e aqui; ou a 28ª temporada, Survivor Cagayan, que é recente, tem uma qualidade de vídeo ótima e um jogo de excelente pra cima, que mostra bem como survivor é jogado hoje em dia.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Se já quiser meter os dois pés na porta e assistir uma das melhores de todas, além da 28ª, tem a 16ª, Survivor Micronesia, temporada que é apenas maravilhosa e serve tudo que a gente precisa. Porém, essa tem metade do elenco de participantes que já haviam jogado e retornam.

survivor versao brasileira no limite
Foto: Reprodução

Temporadas que eu não recomendo: tem algumas temporadas que são verdadeiro flop, tipo Tailândia (5) e Redemption Island (22), mas ainda assim se alguém quiser assistir, quem sou eu pra dizer que não pode né? Vai com Deus e haja paciência haha

Porém existe uma que se eu pudesse apagar, apagaria da história do show que é a número 39, Island of the Idols, que teve todo o entretenimento apagado por uma história de abuso que demorou para tomar uma medida acertada por parte da produção. Não tem estômago que aguente essa temporada.

PLANEJANDO SUA VIAGEM?

Faça sua reserva pelos links parceiros do blog! Recebemos uma pequena comissão que ajuda a manter o blog no ar e você não paga nada a mais por isso.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *