Roteiro pelo Jalapão: DIA 1

roteiro pelo jalapão

Em nosso primeiro dia de roteiro pelo Jalapão nosso guia Junera da Jalapão Calliandra Ecoturismo pegou eu e Daiani, amiga que fez essa viagem comigo, as 09h00 no Hotel 10 de Palmas, onde tomamos nosso café da manhã bem reforçado.

E nossa primeira parada foi logo no distrito de Taquaruçu a quase 30km da capital do Tocantins, que é como se fosse uma vila de Palmas e possui muitas cachoeiras. Fomos conhecer uma figura do local, o Duende de Taquaruçu na porta da Casa do Duende, onde ele expõe seu artesanato, vende coco, água mineral e possui um camping para quem quiser se hospedar ali. Eu e Dai compramos cada uma um duende feito pelo Duende, escolhi com o chapeu verde.

De lá partimos para as primeiras atrações da expedição, mas que ainda não faz parte do Parque Estadual do Jalapão: as cachoeiras do Roncadeira e do Escorrega Macaco.

Estacionamos o carro e fomos fazer a trilha, ela fica aberta das 08h00 às 17h30, sendo que o último horário para entrar é às 16h30.

Essa foi a única trilha que fizemos durante toda a expedição, por isso é bom levar calçado apropriado. Porém ela é bem tranquila e rápida, com 1,5 km e mais ou menos 25 minutos de caminhada, sendo praticamente inteira coberta por sombra. No caminho da trilha nos deparamos com o cipó escada de macaco e uma barata d’água muito louca que parece que tomou ácido.

* se for por conta própria paga R$ 10,00 por pessoa logo na entrada para acessar as cachoeiras

Fomos direto para a Cachoeira do Roncadeira, que é a mais distante das duas, e encontramos um grupo de outra agência mas que já estava indo embora dela, logo ficamos com o local só para nós três.

A cachoeira impressiona pela altura de sua queda de 70 metros. Aqui há a possibilidade de fazer rapel, fiquei com muita vontade mas não fiz. Seu espaço para banho é bem grande e sua água é muito linda, além de gelada (como toda boa cachoeira).

Deu para aproveitar muito, até dei uma conversada com a Mãe Natureza de tão silencioso que estava o local. Ficamos um tempinho curtindo e depois partimos para a próxima cachoeira.

Voltamos pelo caminho que viemos e paramos na Cachoeira do Escorrega Macaco, que dizem ter encontrado o animal morto ali e por isso o nome.

Essa é uma cachoeira um pouco menor com 56 metros, mas muito gostosinha. Eu preferi a anterior, mas é apenas preferência mesmo, as duas são deliciosas. Quando chegamos aqui o outro grupo estava indo embora e também ficamos sozinhos ali.

Saímos da cachoeira e fizemos a trilha de volta para o carro. Lá na entrada possui banheiro caso precisem.

Partimos, então, para almoçar já na cidade de Ponte Alta do Tocantins, que fica há mais de 145 km de Palmas e há mais ou menos 120 km de Taquaruçu. E nossa parada foi no local onde iríamos nos hospedar naquela noite, na Pousada Águas do Jalapão que conto mais no fim do post sobre sua estrutura.

É importante salientar que em nosso roteiro de 04 dias, cada noite nos hospedamos em uma cidade diferente. A comida do Tocantins, no geral, é deliciosa, um tempero muito bom que me dá muita saudade.

Voltamos para o carro pois, apesar de já estarmos na pousada que iríamos dormir, ainda tinha o que conhecer na redondeza.

Junera fez uma parada na loja Cabana Capim, para comprarmos artesanatos de capim dourado, o ouro do Jalapão que nasce nas veredas. Aqui eu acabei apenas apreciando tudo, mas a Dai saiu com umas comprinhas.

Uma curiosidade é que a dona dessa loja foi quem fez as bijouteiras utilizadas pelos atores da novela Do Outro Lado do Paraíso, da Rede Globo.

No meio do caminho paramos para fotografar o Morro da Cruz, que não dá para subir, mas podemos apreciar lá de baixo mesmo. Ele possui esse nome porque era um cemitério, onde pessoas levavam seus mortos para serem enterrados ali.

Enfim chegamos na última atração e uma das mais conhecidas, a Pedra Furada. Gente, ela é linda, toda rosa, fiquei mega encantada.

Geralmente aqui se tem um pôr do sol magnífico, porém, no dia que visitamos as nuvens encobriram tudo e não deu para ver nada. A visão do cerrado que se tem de lá é bem bonita.

Na pedra já haviam bastante turistas, mas nada que desabonasse o passeio. Tinha um pouco de fila para tirar fotos nos pontos clássicos, mas Junera logo nos levou para um outro canto em que não havia ninguém tirando foto e era lindo demais.roteiro pelo jalapão

Por fim, retornamos para a Pousada Águas do Jalapão onde fomos mega bem recebidas, sério, eles são incríveis nesse quesito, para enfim tirar nossas malas do carro, tomar um banho, jantar e descansar. Vamos para um pequeno review sobre ela:

POUSADA ÁGUAS DO JALAPÃO

A pousada fica na cidade de Ponte Alta do Tocantins, como dito acima.

Ficamos em um quarto simples mas grande com duas camas, uma de casal e uma de solteiro, ar condicionado, televisão e banheiro com um bom tamanho, além de limpo.

O Wi-fi esteve bom na maior parte do tempo, oscilando um pouco no fim da noite.

Eles possuem uma piscina que eu ainda estou morrendo por dentro por não ter utilizado, ela estava mega convidativa com uma cascatinha super linda, mas enfim, quem sabe um dia volto para aproveitar melhor.roteiro pelo jalapão

O valor da diária com café da manhã é em média R$ 225,00.

Mas o que eu não aproveitei na piscina, consegui aproveitar em outros dois ambientes.

Primeiro fomos recebidas pela Jane Carvalho para relaxarmos na Choupana Relax Águas do Jalapão, onde ela, com suas mãos de fadas, nos proporcionou uma massagem revigorante. Queria uma Jane em todos os dias da expedição, viu?

Depois, fomos para o bar da pousada e provamos o drink Lagoa do Japonês, feito pelo Lucas que não conta todos os ingredientes da bebida, mas ela é bem gostosa, não deixem de pedir. O nome do drink se dá por conta de uma das atrações do Jalapão chamada Lagoa do Japonês e que possui águas com a cor do drink. Spoiler: não visitamos esse lugar! Um super motivo para retornarmos, hein?

Depois de uma massagem super relaxante e um bom drink, nada melhor do que cair na cama, sonhar com os anjos e descansar para um segundo dia que prometia, afinal, seria o mais longo e na pior estrada da expedição.

Visite o post sobre tudo o que você precisa saber para visitar o Jalapão, para tirar todas as dúvidas sobre quantos dias ficar, como é o clima, melhor época para visitar, o que levar na mala, se dá para fazer por conta própria e muitos mais!

 

 

* NÃO ESQUEÇA DE RECOLHER SEU LIXO!
** Essa viagem foi realizada a convite da agência Calliandra Ecoturismo que forneceu transporte e guia para nossa expedição, bem como as Pousadas Águas do Jalapão, Cristal Dourado e São Félix do Tocantins que nos ofereceram como cortesia a hospedagem, café da manhã e jantar. Por favor, veja a política do blog para mais informações.

 

Você pode gostar

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *